Estatuto da Associação Brasileira de EMDR

 

 

Capítulo I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE E FINS

 

Art. 1º - A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMDR, também designada pelo nome de fantasia EMDR BRASIL e pela sigla EMDR BR, constituída em 02 de novembro de 2008, é uma associação, de âmbito nacional, sem fins lucrativos e duração por tempo indeterminado, de natureza técnico científica.

§ 1º. A Associação será regida pelo presente Estatuto, pelo seu Regimento Interno e pela legislação em vigor.

§ 2º. A Associação tem personalidade jurídica distinta da de seus associados, os quais não respondem subsidiariamente pelas obrigações por ela contraídas.

§ 3º. A sede da Associação e fórum serão decididos na Assembleia Ordinária, quando ocorre a eleição da Diretoria, de acordo com o domicílio do seu Presidente ou Tesoureiro.

 

Art. 2º - A ASSOCIAÇÃO tem por finalidade:

I - Zelar pela observância dos critérios da prática do treinamento básico, estabelecidos pelo EMDR Institute;

II - Zelar pela observância dos critérios de certificação do Terapeuta Certificado, Supervisor e Facilitador, Educação Continuada e investigação científica, estabelecidos pela EMDR International Association (EMDRIA), pela EMDR Institute, pela EMDR Iberoamérica (IBA), ou por outra Regional a que estiver vinculada;

III - Incentivar estudos e pesquisas na clínica psicoterapêutica que contribuam para o entendimento, aprimoramento e difusão da abordagem terapêutica EMDR – Eye Moviment Desensitization and Reprocessing, (Dessensibilização e Reprocessamento por meio de Movimentos Oculares) em todo o território nacional;

IV – Agregar ao seu quadro social pessoas físicas e jurídicas que atendam às finalidades da Associação;

V– Fomentar atividades técnico-científicas– cursos, treinamentos, simpósios, congressos e outros – com vistas a favorecer o aprofundamento e a atualização da prática psicoterapêutica dos associados, por meio do EMDR;

VI– Contribuir para a expansão e difusão da abordagem do EMDR entre psicoterapeutas (psicólogos e médicos) devidamente regularizados para o exercício da psicoterapia clínica;

 

VII– Desenvolver programas, projetos e eventos para a divulgação da terapia EMDR para o público em geral;

 

VIII – Organizar congressos, reuniões científicas, conferências, debates ou quaisquer outras manifestações que contribuam para os interesses da Associação e seus desdobramentos sócio-científicos;

 

IX– Preservar parâmetros da ética profissional no emprego criterioso do EMDR;

X – Reconhecer a validade dos certificados de treinamento básico, oferecidos por treinadores associados à esta Associação, credenciados pela Associação EMDR Iberoamérica (IBA), pela EMDRIA, pela EMDR Institute, ou por outras Associações Regionais de EMDR reconhecidas pela Global Alliance;

 

XI – Acompanhar, registrar e reconhecer os créditos educativos referentes ao processo de Educação Continuada, dos Terapeutas Certificados, Supervisores e Facilitadores;

XII – Contratar, por tempo determinado, outras entidades ou pessoas físicas, brasileiras ou de outros países, capazes de estabelecer parcerias com intuito de oferecer cursos, treinamentos, supervisões ou aprimoramentos teóricos e técnicos aos associados, seguindo o critério do item IX deste artigo;

 

XIII – Divulgar e proteger a abordagem EMDR, em todo o território nacional, preservando as diretrizes do EMDR Institute;

XIV – Incentivar a publicação, por meio de boletins, jornal interno e externo, livros, internet e/ou revista, mídia eletrônica, (CDs, DVDs, etc.) ou outros meios de difusão os trabalhos teóricos e técnicos desenvolvidos por seus associados;

XV – Manter a lista atualizada de Treinadores, Facilitadores, Supervisores e Terapeutas Certificados;

XVI – Orientar e auxiliar seus associados quanto ao encaminhamento de questões junto aos respectivos Conselhos de Classe (CRP e CRM), observadas as finalidades da Associação;

XVII – Estabelecer convênios com instituições de ensino superior nacionais, públicas e privadas, reconhecidas pelo Ministério de Educação, bem como instituições de ensino internacionais, para atendimento de seus fins;

XVIII – Cumprir e fazer cumprir este Estatuto, o Regimento Interno e as deliberações da Assembleia;

XIX – Admitir e excluir associados, na forma estabelecida no Regimento Interno.

 

Art. 3º - No desenvolvimento de suas finalidades estatutárias a Associação observará ainda o seguinte:

I - Os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade, e da eficiência;

II - A adoção de práticas de gestão administrativa necessárias e suficientes a coibir a obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios ou vantagens pessoais, em decorrências da participação no respectivo processo decisório;

III - Contratar prestador de serviço, não associado, respeitando os valores praticados pelo mercado, na região correspondente à sua área de atuação, devendo o valor ser fixado pela Diretoria da Associação e registrado em ata.

 

Art. 4º – A Associação não emprestará seu nome a manifestações de caráter político-partidário ou religioso, nem cederá suas dependências para tais fins.

 

CAPÍTULO II – DOS ASSOCIADOS

Art. 5º - A Associação é constituída por um número ilimitado de associados, distribuídos nas seguintes categorias: fundadores, ativos e participantes, benfeitores e honorários conforme descrito abaixo:

§ 1º. São categorias dos associados:

I - Fundador: é o associado signatário da Ata de Fundação da Associação;

II - Ativo: é o associado admitido pela Diretoria  após concluir o Nível 2 do Treinamento Básico de EMDR e atender aos requisitos contidos no §1º do Artigo 3º do Regimento Interno;

III - Participante: é o associado admitido pela Diretoria, que iniciou seu processo de formação em EMDR, tendo atendido os requisitos contidos no §1º do Artigo 3º do Regimento Interno;

IV - Benfeitor:é a pessoa física ou jurídica que contribui ou contribuiu financeiramente para o bem da entidade;

V - Honorário: é a pessoa física que tenha prestado relevantes serviços à Associação.

§ 2º. Os associados Honorários e os Benfeitores são isentos do pagamento da anuidade.

§ 3º. Os associados caracterizados por Pessoa Jurídica somente serão aceitos na categoria de associado Benfeitor e serão representados junto à Associação por seus representantes credenciados para tal fim.

 

CAPÍTULO III - DA ADMISSÃO, SUSPENSÃO, EXCLUSÃO E READMISSÃO DOS ASSOCIADOS

Art. 6º - As condições exigíveis para a admissão e permanência no quadro de associados, além das constantes deste Estatuto, constarão do Regimento Interno.

§ 1º. São critérios para a admissão ao quadro de associado: concluir a formação básica em EMDR, enviar Ficha de Inscrição juntamente com os documentos comprobatórios e  pagar a primeira anuidade.

§ 2º. Será causa de suspensão do quadro de associados, a falta de pagamento da anuidade, 30 (trinta) dias após o vencimento.

§ 3º. Será causa de exclusão do quadro de associados a ocorrência de procedimentos e comportamentos que firam as normas e interesses da Associação, assim reconhecida em procedimento que assegure direito de defesa e de recurso.

§ 4º. Os critérios para readmissão de ex-associado constará no Regimento Interno.

§ 5º. O desligamento opcional e voluntário de qualquer membro do quadro de associados, de qualquer categoria, dar-se-á mediante comunicação escrita e o pagamento de qualquer eventual débito existente até a data da solicitação.

§ 6º. Casos especiais e/ou fortuitos serão decididos pela Diretoria.

CAPÍTULO IV - DOS DIREITOS E DEVERES DOS ASSOCIADOS

Art. 7º - São direitos dos associados, quites com suas obrigações sociais, observadas as especificidades de cada categoria e o Regimento Interno:

I - Votar e ser votado na forma estabelecida no Artigo 15, § 9º e § 10º do Regimento Interno;

Parágrafo Único - Somente poderão votar e serem votados os associados das categorias Fundador e Ativo.

II - Participar das Assembleias Gerais Ordinárias (AGO) e Extraordinárias (AGE);

III - Usufruir dos serviços prestados pela Associação, mediante pagamento dos custos devidos;

IV - Gozar dos benefícios oferecidos pela Associação;

V - Todos os associados terão seus direitos de associados resguardados de forma igualitária, respeitosa e transparente, sem que normas ou procedimentos sejam instituídos para direta ou indiretamente prejudicar sua atuação;

VI - Os associados não respondem pessoalmente pelos encargos da Associação;

VII -  Os direitos dos associados são pessoais e intransferíveis.

Art. 8º - São deveres dos associados:

I - Respeitar e cumprir as disposições Estatutárias e Regimentais;

II - Contribuir com a anuidade da Associação, conforme valor aprovado na Assembleia Geral;

III - Colaborar para que a Associação cumpra seus objetivos;

IV - Prestigiar a Associação e propagar seu trabalho;

V - Acatar as decisões da Assembleia e da Diretoria no âmbito das suas atribuições.

 

CAPÍTULO V - DA ADMINISTRAÇÃO

Art. 9º - A Associação será administrada por seu Presidente, eleito em Assembleia Geral Ordinária, pelo prazo de 02 (dois) anos, juntamente com sua diretoria executiva e o seu Conselho Fiscal,  podendo se candidatar a reeleição total ou individual dos seus membros.

 

CAPÍTULO VI - DA ASSEMBLEIA GERAL

Art. 10 – A Assembleia Geral, órgão máximo da Associação, será constituída pelos associados em pleno gozo dos seus direitos estatutários.

Art. 11 – A Assembleia Geral realizar-se-á, ordinariamente nos Congressos Nacionais,  de 02 (dois) em 02 (dois) anos, para:

I - Eleger a Diretoria e o Conselho Fiscal;

II - Decidir sobre alterações do Estatuto;

III - Decidir sobre a extinção da entidade, nos termos do Artigo 30;

IV - Decidir sobre a conveniência de alienar, transigir, hipotecar ou permutar bens patrimoniais;

V - Alterar e aprovar o Regimento Interno;

VI - Apreciar o relatório bianual da Diretoria;

VII - Discutir e homologar as contas e o balanço aprovado pelo Conselho Fiscal;

VIII - Decidir os casos complexos ou omissos deste Estatuto;

IX - Destituir a Diretoria.

§ 1º. Para as deliberações a que se referem os incisos II, III, IV, V e IX deste artigo é exigido deliberação da Assembleia Ordinária ou Extraordinária, especialmente convocada para esse fim, cujo quorum será de aprovação 51% (cinqüenta e um por cento) dos associados.

§ 2º. Será assegurado o direito de defesa para as deliberações referentes ao inciso IX, devendo esta ser apresentada no ato da Assembleia com a apreciação e decisão imediata dos associados na mesma disposição do quorum estabelecido no parágrafo anterior.

 

Art. 12 - A Assembleia Geral realizar-se-á ordinariamente ou extraordinariamente, quando convocada:

I – Pela Diretoria;

II – Pelo Conselho Fiscal;

III – Por requerimento de, pelo menos, 1/3 (um terço) dos associados Fundadores e Ativos.

 

Art. 13 - A convocação da Assembleia Geral Ordinária será feita por meio de edital afixado na sede da Associação, caso exista uma sede física, por e-mail e outros meios convenientes, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias. A Assembleia se instalará em primeira convocação com a maioria dos associados e, em segunda convocação, após 30 minutos, com  qualquer  número.

Parágrafo Único - A Assembleia Geral Ordinária (AGO) será realizada preferencialmente de forma presencial. Caso o Congresso seja realizado através de plataforma virtual, a AGO poderá ser realizada nos mesmos parâmetros da AGE, descritas no Artigo abaixo.

 

Art. 14 - A convocação da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) poderá ser realizada em plataforma virtual eserá instalada com o número de associados presentes no horário designado. Os associados ativos receberão um link de acesso com antecedência de no mínimo 07(sete)  dias corridos e um e-mail, ou comunicados virtuais, informando acerca da data e horário da Assembleia, acrescido da informação do tempo em que o link de votação ficará disponível.

Parágrafo Único - As decisões serão tomadas por maioria simples de votos, com exceção dos itens elencados no Artigo 11, § 1º deste Estatuto.

 

Art. 15 - Qualquer Assembleia será instalada e presidida pelo Presidente da Associação, ou por seu substituto legal, exceto quanto a Assembleia for instalada em razão de convocação feita pelo Conselho Fiscal, quando será presidida pelo Presidente do Conselho.  Ou por parte do quadro social, quando será presidida por qualquer associado escolhido.

§1º. Os Associados poderão ser representados por procuradores na Assembleia presencial devidamente habilitados, munidos de instrumentos revestidos das formalidades legais com firma reconhecida.

§ 2º. No caso de realização de Assembleia por plataforma virtual, o associado deverá encaminhar à Diretoria da Associação a procuração com antecedência mínima de 24 (vinte e quatro)  horas do horário da primeira convocação da Assembleia.

 

CAPÍTULO VII - DA DIRETORIA EXECUTIVA

Art. 16 - A Diretoria será constituída por Presidente, Vice-Presidente, Primeiro e Segundo Secretário, Tesoureiro e 2 (dois) Suplentes para os cargos de secretário e tesoureiro.

§ 1º. O mandato da Diretoria será de 02 (dois) anos, sendo permitida somente uma reeleição, ou seja, por mais 02 (dois) anos, na forma do Artigo 9º deste Estatuto.

§ 2º. Compete ao Vice-Presidente assumir o mandato, em caso de vacância do cargo de Presidente, até o término da gestão.

§ 3º. No caso de vacância dos demais cargos, compete a Diretoria eleger, quantas vezes se fizer necessário, 01 (um) associado ativo nos critérios previstos no Artigo 15, § 9º do Regimento Interno.

 

Art. 17 - Compete à Diretoria, de acordo com cada atribuição:

I - Dar cumprimento às finalidades da Associação constantes deste Estatuto;

II - Elaborar e executar programa anual de atividades;

III - Elaborar e apresentar à Assembleia Geral o relatório anual;

IV - Reunir-se com as instituições públicas e privadas para mútua colaboração em atividade de interesse comum;

V - Contratar e demitir funcionários;

VI - Admitir e excluir associados, na forma estabelecida no Regimento Interno;

VII - Nomear associados para assessorar em atividades relacionadas com a finalidade da Associação, chamadas de Comissão;

VIII - Responder dentro das suas atribuições legais.

 

Art. 18 - A Diretoria se reunirá, em reuniões presenciais, via Skype ou por outro meio virtual, ordinariamente uma vez a cada 03 (três) meses, ou extraordinariamente, quantas vezes forem necessárias, mediante convocação do Presidente ou do Conselho Fiscal.

 

Art. 19 - Compete ao Presidente:

I - Representar legalmente a Associação, ativa e passivamente quer seja perante a Administração Pública, empresas privadas, em juízo ou fora dele, podendo, para tanto, delegar poderes a outros membros da Diretoria, em caso de necessidade;

II - Cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno;

III - Presidir a Assembleia Geral;

IV - Convocar e presidir as reuniões da Diretoria;

V - Assinar documentos, relatórios, representações e demais papéis da Associação;

VI - Rubricar os livros de registros legalmente exigidos da Associação;

VII - Autorizar despesas não previstas no Orçamento Anual, ouvida a Diretoria;

VIII - Assinar cheques referentes a contas a pagar, juntamente com o Tesoureiro;

IX - Ser corresponsável, com o tesoureiro, pela conta bancária da Associação Brasileira de EMDR. Bem como autorizar conjuntamente pagamentos referentes a despesas da Associação;

X - Contratar e demitir funcionários ou prestadores de serviços.

 

Art. 20 - Compete ao vice-presidente:

I - Substituir o Presidente em suas faltas, impedimentos ou renúncia;

II - Prestar, de modo geral sua colaboração ao Presidente e aos demais Diretores;

III - Supervisionar o Departamento de Pesquisa da Comissão Científica.

 

Art. 21 – Compete ao Primeiro Secretário:

I - Dirigir e coordenar os trabalhos da Secretaria;

II - Cuidar da correspondência do expediente da Associação;

III - Ter sob sua guarda e responsabilidade os arquivos as Associação;

IV - Elaborar os relatórios anuais;

V - Secretariar as reuniões da Diretoria e das Assembleia e redigir as atas;

VI - Divulgar as notícias das atividades da entidade, podendo ter ajuda de um webmaster;

VII - Analisar os Cursos Avançados de CEC (Crédito de Educação Continuada), e suas respectivas renovações;

VIII - Emitir os certificados dos associados dos cursos avançados com Créditos de Educação Continuada;

IX - Verificar documentos para emitir certificados de Terapeuta Certificado, Supervisor e Facilitador.

 

Art. 22 – Compete ao Segundo Secretário:

I - Substituir o primeiro Secretário em suas faltas ou impedimentos;

II - Assumir o mandato, em caso de vacância, até o seu término;

III - Prestar, de modo geral, a sua colaboração ao Primeiro Secretário;

IV - Receber as fichas de inscrição / renovação;

V - Atualizar a planilha dos associados;

VI - Manter atualizados os arquivos dos associados com a sua respectiva documentação;

VII - Emitir a carteirinha do associado.

 

Art. 23  - Compete ao Tesoureiro:

I - Dirigir e fiscalizar os trabalhos da Tesouraria;

II - Assinar, juntamente com o Presidente, cheques e outros documentos financeiros;

III - Elaborar o Orçamento Anual da Associação;

IV - Arrecadar e contabilizar as contribuições dos associados, rendas, auxílios e donativos, mantendo em dia a escrituração;

V - Pagar as contas autorizadas pelo Presidente;

VI - Conferir os balanços e balancetes enviados pelo contador;

VII - Apresentar relatórios de receitas e despesas, sempre que forem solicitados;

VIII - Apresentar ao Conselho Fiscal a escrituração da Instituição, incluindo os relatórios de desempenho financeiros e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas;

IX - Conservar, sob sua guarda e responsabilidade, os documentos relativos à Tesouraria;

X - Manter todo o numerário em estabelecimento de crédito;

XI - Cuidar dos investimentos e aplicações do montante financeiro excedente da Associação.

 

CAPÍTULO VIII - DO CONSELHO FISCAL (CF)

Art. 24 - O Conselho Fiscal será constituído por 3 (tres) membros e seus respectivos suplentes, eleitos pela Assembleia Geral.

§ 1º. O mandato do CF será coincidente com o mandato da Diretoria.

§ 2º. O Conselho Fiscal será composto pelos sócios ativos, por ordem de antiguidade na Associação.

§ 3º. Em caso de vacância, o mandato será assumido pelo respectivo suplente, ou na falta deste suplente, a diretoria irá analisar a necessidade de substituir respeitando os critérios previstos no § 2º deste Artigo.

§ 4º. A substituição de membros do CF dar-se-á por: morte; renúncia voluntária; denúncia comprovada de atos ilícitos ou atos que firam este Estatuto, cometidos por membro conselheiro, incorrendo em exclusão sumária do quadro de associados.

§ 5º. Em sua primeira reunião o CF elegerá um dos seus membros para ocupar o cargo de Presidente do Conselho Fiscal.

Art. 25 - Compete ao Conselho Fiscal:

I - Examinar os livros de escrituração, os balancetes e balanços da Associação, emitindo parecer;

II - Opinar sobre os relatórios de desempenho financeiro e contábil e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da entidade;

III - Fiscalizar a aplicação e a utilização dos bens e recursos financeiros da Associação;

IV - Acompanhar o funcionamento da entidade, averiguando a regularidade patrimonial, financeira, operacional, fiscal, jurídica, trabalhista e previdenciária; informando a Assembleia Geral Ordinária, no Congresso,sobre eventuais irregularidades;

V - Opinar sobre quaisquer assuntos solicitados pela Diretoria ou por associados da Associação, emitindo pareceres justificados sobre a questão;

VI - Aprovar ou não, demonstrativo de receita de despesa de exercício findo e do seguinte, dando parecer sobre o balanço anual e apresentar relatório sobre as suas atividades;

VII - Analisar as contas da Associação antes de eleição da nova Diretoria, apresentando relatório que será lido na Assembleia Geral de eleição;

VIII - Convocar a Assembleia Geral, em caso de necessidade;

IX - Apreciar e opinar, quando solicitado pela Diretoria, sobre os casos omissos deste Estatuto.

 

Art. 26 - O Conselho Fiscal reunir-se-á:

I - Por convocação de qualquer de seus membros;

II - Por convocação da Diretoria;

III - Por convocação de 1/3 (um terço) dos membros da Associação.

Parágrafo Único - As decisões do CF serão tomadas por maioria simples de voto.

 

Art. 27 - Em caso de demissão coletiva do CF, a Diretoria convocará Assembleia Geral Extraordinária para eleição de novos membros, a menos que o tempo para o término da gestão seja inferior a 06 (seis) meses.

Parágrafo Único – Em caso de demissão ou afastamento de um dos membros do CF, o Presidente da Associação nomeará um suplente para completar a gestão.

 

CAPÍTULO IX - DAS COMISSÕES

Art. 28 - A Associação valer-se-á de Comissões para a realização de seus projetos.

§ 1º. A função precípua de cada Comissão será executar projetos relacionados à Associação.

§ 2º. As Comissões serão compostas por associados ativos indicados pela Diretoria Executiva e/ou pela Assembleia Geral.

§ 3º. As comissões serão definidas conforme as necessidades da Associação.

§ 4º. O número de membros de cada Comissão será definido pela Diretoria Executiva e/ou pela Assembleia Geral, levando-se em consideração o volume de trabalho a ser executado.

§ 5º. Os trabalhos das Comissões serão supervisionados pela Diretoria Executiva e dependerão da aprovação desta para serem implementados.

Parágrafo Único - As competências das Comissões serão definidas pelo Regimento Interno.

 

CAPÍTULO X - DO PATRIMÔNIO

Art. 29 - O patrimônio da Associação será constituído de bens móveis, imóveis, veículos, semoventes, ações e aplicações financeiras.

Art. 30 - No caso de dissolução da Instituição, o respectivo patrimônio líquido será transferido para outra pessoa jurídica que tem a finalidade semelhante à da Associação, a ser aprovada em Assembleia.

Art. 31 - Os recursos financeiros necessários à manutenção de instituição poderão ser obtidos por:

I - Termos de Parceria, Convênios e Contratos firmados com Poder Público para financiamento de projetos em sua área de atuação;

II - Contratos e acordos firmados com empresas e agências nacionais e internacionais;

III - Doações, legados e heranças;

IV - Rendimentos de aplicações de seus ativos financeiros e outros, pertinentes ao patrimônio sob a sua administração;

V - Contribuição dos associados;

VI - Por recursos advindos dos congressos e workshops.

Art. 32 – A Associação não distribuirá qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas rendas, assim como eventuais resultados financeiros a título de lucro, participação ou extinção, a dirigentes, mantenedores ou associados.

 

CAPÍTULO XI - DA PRESTAÇÃO DE CONTAS

Art. 33 - A prestação de contas da Associação observará, no mínimo, os princípios fundamentais de contabilidade e as Normas Brasileiras de Contabilidade, além dos dispositivos do Regimento  Interno.

 

CAPÍTULO XII - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 34 - O exercício financeiro da Associação coincidirá com o ano civil.

Art. 35 - A  Associação não remunera, sob qualquer forma, os cargos do Conselho Fiscal, bem como as atividades de seus associados, cujas atuações são inteiramente voluntárias.

Art. 36 - Os membros da Diretoria e os Treinadores ficam isentos da anuidade e da inscrição do Congresso Nacional de EMDR.

Art. 37 - A Associação será dissolvida por decisão da Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades.

Art. 38 - Em razão de dificuldades operacionais, a Assembleia Geral de 02/11/2008, que constituiu a Associação, excepcionalmente, deixou de escolher suplentes para o primeiro mandato do Conselho Fiscal, o que foi corrigido nas Diretorias seguintes.

Art. 39 - O presente Estatuto poderá ser reformado, a qualquer tempo, por decisão de 1/3 (um terço) dos associados, em Assembleia Geral especialmente convocada para esse fim, e entrará em vigor na data de seu registro em Cartório.

Art. 40 - Os casos omissos neste Estatuto serão resolvidos pela Diretoria e referendados pela Assembleia Geral.

FALE CONOSCO:

 

Rua Purpurina, 131,  conjunto 76,

Vila Madalena 
São Paulo, SP

Cep 05435-030

contato@emdr.org.br

www.emdr.org.br

Celular e WhatsApp:

(41) 9- 8703-8228

 

© 2020 Associação Brasileira de EMDR

As ofertas são válidas por tempo determinado e/ou enquanto durarem os estoques. Nosso serviço de entregas não permite encomendas feitas
com endereçamento de Caixa Postal. Data estimada para entrega de produtos: fevereiro de 2020
Associação Brasiliera de EMDR. Cnpj: 12.300.585.0001-44
Rua Purpurina, 131, Sala 76, Sumarezinho, São Paulo, SP. Cep: 05435-030
contato@emdr.org.br | (41) 98703-8228